Como se prepara o último jogo da carreira? "Como todos os outros, com a mesma vontade, dedicação e entrega, mas com certeza que terá um "sabor" especial"



A poucas horas de efetuar a última partida na carreira, a Zona Técnica Futsal esteve à conversa com, Wellington Almeida Medeiro, mais conhecido como Nino.


Uma carreira com Leiria no coração, mas antes de chegar a este Distrito e aos clubes que tiveram a sorte de ter, como foi antes de chegar a Portugal?

Nino - Foi tudo muito rápido depois de uma curta passagem pelo futebol 11 (Associação Atlética Rio Verdense) onde estive durante duas épocas, surgiu a oportunidade de ingressar no futsal (Rio Verde Futsal). Alguns campeonatos estaduais, uma liga nacional, uma taça Brasil e surge o convite para jogar em Portugal.

 

Chegas a Portugal e abraças o projeto Instituto D. João V, onde estiveste 5 temporadas, pelo meio Benfica e Pombal. Fala-nos um pouco desses anos, onde consegues chegar ao topo, o Benfica, mas por lá ficas pouco tempo.

Nino - O chegar ao Instituto D. João V foi mais que abraçar o projeto foi o viver um sonho de miúdo, foi o início de um ciclo que viria a mudar a minha vida, a oportunidade de treinar e jogar ao mais alto nível. Foram anos de muito trabalho, aprendizagem e principalmente de muitas amizades. Depois surge o Benfica e o prazer de vestir aquela camisola, uma curta estadia, porém muito intensa e gratificante. Um balneário recheado de craques, um título nacional e uma taça de Portugal. Na verdade estive nove épocas no Instituto D. João V, o vestir a camisola do Sporting de Pombal teve a ver só com patrocínios.



 

Coimbra também teve a oportunidade de ter, no seu clube mais emblemático a Académica como foram essas temporadas em Coimbra?

Nino - Após a triste noticia da desistência do Instituto D. joão V do futsal, surgiu o convite de representar a Académica que tinha subido à 1.ª Divisão. Foram duas épocas fantásticas, com um staff formidável, uma claque incrível e um grande grupo de amigos.

 

Em 2013 ingressas na Burinhosa sobe a batuta de Kitó Ferreira num projeto que estás até ao dia de hoje e que no próximo fim de semana deixarás. Pelo Meio uma breve passagem pela ADR Mata. Este será o clube que mais te marcou?

Nino - Todos os clubes por onde passei, felizmente não foram muitos, acabaram por deixar a sua marca. No entanto, quero enumerar o Instituto D. João V e a Burinhosa. O Instituto D. João V, foi onde tudo começou, por tudo o que aprendi e pelas amizades que perduram até hoje. A Burinhosa por toda a sua mística, pelo carinho e respeito dos adeptos, pelo balneário e por tudo o que vivi nestes cinco anos.

" Burinhosa não se explica, sente-se".


 

Teremos um Nino ligado ao futsal no Futuro? 

Nino - Na verdade, ainda não sei, pois só agora "caiu a ficha".

 

Que treinadores e colegas mais marcaram a tua carreira?

Nino - Ao longo da minha carreira tive o prazer e o privilégio de ser treinado pelos melhores, cada um com características muito distintas, mas todos eles foram importantes para a minha evolução como atleta e pessoa. Vou ser eternamente grato a todos a eles, todos me marcaram, no entanto, quero salientar o Alex Pinto pela confiança e ajuda ao longo destas duas últimas épocas, que permitiu que prolongasse e desfrutasse um pouco mais de futsal. Quanto a colegas os que mais me marcaram foram todos os que se tornaram amigos, e felizmente são muitos.

 

Qual o segredo para essa longevidade e para efetuar sempre tantos golos?

Nino - Segredos não há, muito trabalho, dedicação, paixão, superação dia após dia e alguns cuidados.

 

Momento mais marcante na carreira pela positiva e pela negativa e porquê?

Nino -  O Momento que mais me marcou foi o título de campeão nacional da 2ª divisão e consequentemente a subida de divisão, porque era esse o objetivo do clube, e pela forma como foi comemorado por toda uma aldeia. O que mais me marcou pela negativa, foi o término do futsal no Instituto D. João V, pois além das condições humanas e materiais era um clube de referência nacional.


Qual o seu 5 ideal (colegas com que jogou) e por quem seria treinado? 

Nino -  Seria para mim muito difícil enumerar apenas 5, afinal foram 17 épocas a jogar com craques. Mas se tivesse que ser: Eu e + 4 (risos).

Quanto ao treinador foram tantos e com tanta qualidade que seria ingrato enumerar apenas um.


E agora Nino? O futsal fica mais pobre e perde um sr. das quadras, que mensagem queres deixar e agradecimentos nesta que será a última semana de treinos?

Nino - Uma mensagem que posso deixar, é uma frase de Fernando Pessoa, com a qual me identifico muito: “o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem". Aproveito para agradecer a todas as pessoas que de uma forma ou de outra me ajudaram a viver este sonho, em especial à minha família.

 

Como se prepara o último jogo da carreira?

Nino - Como todos os outros, com a mesma vontade, dedicação e entrega, mas com certeza que terá um "sabor" especial.


Vídeos
As equipas B adulteram campeonatos?
Fernando Rocha: "O Pedro Moreira merecia que isto acontecesse"
Carlos Barbosa vence Tubarão e lidera a LNF
Miguelin "Queremos passar e lutar pela Liga"
André Maluko do Eléctrico FC marcou o melhor golo da semana para programa da #LNFS #PistaAzul
Os melhores golos dos Quartos de Final da Liga SportZone
Portugal derrota a Espanha em Sub-17 | Vídeo
Pato e Marreco empatam no Clássico das Penas
GD Biscoitos conquista AF Angra do Heroísmo
Reviravolta dos Leões de Porto Salvo leva Fundão para a negra | Vídeo
Ficha técnica | Lei da transparência | Estatuto Editorial