Jozita e Lavado para salvar o Mediterranea



Há uma nova dupla lusa pelas quadras italianas.

Depois do trio do Napoli que conta com a guarda-redes Maria Rocha e com as jogadoras Cláudia Dias e Cristiana Filipa, e das duplas nas primodivisionárias Lazio (com Taninha e Caty) e Cittá di Falconara (com Isa Pereira e Sofia Vieira), isto para não falar de outras que se encontram também em Itália mas sem compatriotas no seu balneário, eis que na Serie A2 o Mediterranea contratou nos últimos tempos duas portuguesas para ajudar o clube nesta difícil luta pela manutenção.

São elas Joana Azevedo e Rute Lavado, ambas agenciadas por Vincenzo Portelli da Penta Sport Consulting. As duas portuguesas chegaram ao clube já no final do passado ano de 2019, algo que ainda não tínhamos noticiado, mas que faremos agora, aproveitando para lhe trazer umas palavras de ambas as jogadoras.

Joana Azevedo, mais conhecida por Jozita no mundo do futsal, foi anunciada pelo clube a 27 de Novembro de 2019.

Depois de em 2018/19 ter conseguido o tão desejado scudetto, Jozita esteve alguns meses sem competir, algo que a jogadora afirma que serviu apenas para se reencontrar: “Já são muitos anos de futebol, futsal... chega um momento em que precisamos do nosso espaço, de estar junto a família, de tentar seguir outros caminhos e então decidi tirar um pouco de tempo para mim”.

Ainda assim a vontade de jogar foi mais forte, e esta acabou por aceitar uma proposta deste conjunto que já a perseguia desde o mercado de verão: “Aquele bichinho que permanece dentro de mim não me deixou estacar por completo e então com a insistência do Mediterranea, pois já em Agosto tinham falado comigo, e com o projeto que me apresentaram aceitei este desafio e tornei novamente à quadra”.

Joana já participou em 4 encontros, acabando por somar por derrotas todos eles, mas a experiente portuguesa de 37 anos continua a mostrar o seu faro para o golo tendo feito 5 dos 8 da sua equipa nessas 4 partidas. Sobre estes primeiros tempos no clube, Jozita disse: “a nível de resultados não estão a ser muito bons porque apesar das boas prestações e com equipas com muito valor o resultado positivo teima em não aparecer, mas penso também que está muito perto pois temos feito jogos muito bons e trabalhado mesmo muito para que isso aconteça”. Ainda assim, no que á integração no grupo diz respeito, esta acredita que a mesma está a correr muito bem, acrescentando: “Fui muito bem recebida por toda a equipa, staff técnico, treinador, presidente, todos mesmo. O grupo é muito bom, muito unido, com um ambiente muito bom, por isso sinto-me muito bem aqui e depois não posso deixar de referir que estou numa cidade muito bonita, Cagliari”.

Quem também não esconde a beleza da cidade é Rute Lavado.

A portuguesa de 25 anos chegou ao clube em circunstancias muito distintas das de Jozita, mas também ela destacou esse como um ponto importante na escolha do clube, dizendo: “Quem conhece Itália sabe que a Ilha de Sardegna é espetacular e isso ajudou na decisão, para estar tranquila e conseguir estar no meu máximo”.

Este não é o primeiro conjunto que Rute representa esta temporada, ela que acabou mesmo por passar por uma situação que não é virgem em Itália, é até mais comum que devia, a falta de pagamentos.

Começou a época no Lamezia, mas a direção do antigo clube não cumpriu financeiramente com o prometido, e os vários meses em atraso fizeram a portuguesa procurar um novo rumo para a sua carreira: “Não tive um início de época muito fácil derivado alguns problemas internos do clube que representava. Tomei a decisão de sair para conseguir estar tranquila e viver este que é o meu sonho da melhor maneira, e posso dizer que foi a decisão mais acertada”.

No Mediterranea, Rute encontrou “um Grupo espetacular que tem pessoas muito prestáveis e compreensivas”, mas também não escondeu que “ter a Jozita na equipa, sendo ela também portuguesa, ajuda sempre a adaptar-me mais rápido!”

Jozita e Lavado têm uma missão espinhosa nas mãos. O Mediterranea está na ultima posição do Girone A com apenas 2 pontos, a 6 do Playout, e a 10 da manutenção direta, mas se Jozita se mostrou confiante, também Rute mostrou que não vira a cara à luta: “Sempre gostei de desafios e vir para aqui é um grande desafio e uma grande responsabilidade porque sei que tenho de ajudar o clube ao máximo”. Esta já esteve em dois encontros deste Mediterranea, equipa que segundo a mesma “está a crescer, tem muita vontade de fazê-lo por isso acredito que vamos conseguir fazer muitas coisas positivas e que os resultados positivos irão chegar, basta trabalhar e acreditar até ao fim”.

O Mediterranea terá o seu primeiro jogo de 2020 esta tarde, num encontro que se prevê muito complicado contra as segundas classificadas do Città di Thiene e na próxima jornada o desafio também não será nada fácil, dessa feita contra as terceiras classificadas do Noalese, mas este conjunto que agora conta com estas duas portuguesas precisa mesmo de alcançar o máximo numero de pontos possível nesta luta difícil pela manutenção


Vídeos
Edu Sousa venceu o prémio de Melhor Guarda-redes da Liga Nacional de Futsal
Live | Gazprom-Yugra - Partido Comunista
Joaçaba é campeão da Recopa SC Krona
Resumo da Final entre o Movistar Inter e o Valdepeñas
Dividir Para Evoluir | Irene Samper, AD Alcorcon e Seleção Espanhola
#FicaEmCasaComFutsal - Jorge Braz - 01/05/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Marcos Antunes - 30/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Carlos M Silva - 29/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - Jorge Silvério - 28/04/2020
#FicaEmCasaComFutsal - João Nuno Ribeiro - 27/04/2020
Ficha técnica | Lei da transparência | Estatuto Editorial Politica Privacidade