A campeã trasmontana, promete uma entrega insana



Regressamos a estas versões com uma viagem até terras trasmontanas, mais precisamente a Macedo de Cavaleiros onde “moram” as atuais campeãs distritais de Bragança, o Grupo Desportivo Macedense.

Na época de 2019/20, em que este conjunto voltou a criar equipa feminina, conseguiram desde logo conquistar o Campeonato de Abertura, o Campeonato Distrital, a Taça da AF Bragança e ainda a Taça Transmontana que coloca frente a frente as campeãs de Bragança e as de Vila Real.

Este ano, com três caras novas, algumas que acabaram por chegar já numa fase mais tardia da pré-epoca, o Macedense aposta numa equipa com 14 jogadoras, entre as quais duas guarda-redes, num conjunto com muitas jogadoras experientes, algumas com passagem pelo principal escalão do futsal feminino português, como poderão ver de seguida numas breves descrições de cada uma dessas jogadoras: 

 

GUARDA-REDES (2):

» Vidinha – A guarda-redes de 29 anos caminha para a segunda temporada neste conjunto. Ela que conta então com um percurso que como poderá ver no futuro, será familiar em várias jogadoras. Começou a praticar futsal federado apenas em 2016 para representar o Pioneiros de Bragança, onde esteve por 3 temporadas antes de se mudar para este Macedense no passado verão.

» Ana Correia – Aos 25 anos Ana Correia conta com quase toda uma carreira no Futsal Mirandela, clube onde começou o seu percurso futsalístico aos 14 anos. Esteve por lá três anos e passou depois por Casa do Povo de Vilarandelo e Vila Flor antes de voltar ao Mirandela para jogar por mais 4 temporadas no clube, tendo-se mudado para este Macedense já no decorrer da passada época, procurando agora fazer a sua primeira temporada completa no clube.

 

FIXO/ALA (2):

» Carol – Ana Carolina Miranda, mais conhecida por Carol nestas andanças, a jogadora de 23 anos é uma das caras novas deste conjunto. Conta até ao momento com uma carreira a bem dizer completa ao serviço do AR Santo Cristo, clube onde começou o seu percurso aos 8 anos. Até esta mudança foram 14 épocas nesse conjunto, trajetória apenas interrompida por uma época passada no Pioneiros, onde partilhou balneários com muitas das jogadoras com quem agora se reencontra.

» Telma Gonçalves – A jogadora de 26 anos é a que conta com mais anos neste Macedense. Um total de 4 épocas já completas, as primeiras três entre 2007 e 2010. Após uma época de paragem representou o ARDC Mogrão e fez nova paragem até representar o Santo Cristo em 2017. Fez também apenas uma época nesse conjunto e na passada temporada com a criação deste projeto voltou então a vestir de verde e amarelo, caminhando assim agora para a 5ª época no clube, segunda consecutiva.

 

ALA (2):

» Patrícia Ramalho – A jogadora de 27 anos começou o seu percurso aos 15 no Pioneiros de Bragança, clube onde só veio a sair em 2013 para representar o ACRD Bagueixe. Uma época nesse clube e regressou ao seu Pioneiros de Bragança, onde no total fez 10 temporadas entre 2008 e 2019. Na passada temporada não representou qualquer clube e este ano reforça o Macedense para esta luta por um lugar na 2ª divisão nacional.

» Soares – A jogadora de 24 anos conta já com passagem pelos 3 conjuntos que mais se têm destacado no distrital de Bragança os últimos anos. Até começou pelo futebol em 2006/07, época em que representou o Carrazeda de Ansiães. Só voltaria a ser federada na FPF em 2011 para representar o Santo Cristo, onde esteve por 6 anos antes de se mudar para o Pioneiros. Depois de duas épocas em Bragança mudou-se para o Macedense o ano passado onde vai para a segunda temporada.

 

ALA/PIVOT (4):

» Sofia Miguel – Aos 35 anos, Sofia Miguel é não só a mais veterana como uma das mais experientes deste conjunto, Começou pelo Futsal Mirandela em 1998, passando depois pelo Roios antes de chegar ao Macedense em 2006. Foram 3 anos no clube antes de passar por, Mogrão, Bagueixe, Pioneiros de Bragança, nova passagem por Mirandela e ainda Santo Cristo antes de reforçar o Penaguião onde jogou no Campeonato Nacional. O ano passado reforçou este Macedense e envergou a braçadeira de capitã nesta trajetória vitoriosa do clube.

» Joana Ferreira – A terceira e última cara nova que temos para falar é esta Joana Ferreira. A jogadora de 20 anos conta com uma carreira ainda curta no futsal e toda ela no Santo Cristo, clube onde começou a jogar em 2015. Foram 4 temporadas nesse conjunto, onde esteve então até 2019, não tendo representado qualquer equipa em 2019/20. Regressa agora ao futsal para ser mais um dos reforços deste GD Macedense.

» Daniela Oliveira – Se a carreira de Joana era curta, a de Daniela é ainda mais. A jogadora de 22 anos prepara-se para a segunda temporada como federada, tendo feito a sua estreia nestas andanças a temporada passada ao serviço deste Macedense. Caminha então agora para a 2ª época no clube.

» Sara Almendra – Continuando por carreiras curtas, falamos agora da mais jovem deste clube. Aos 16 anos, ainda com idade de juvenil, Sara caminha para a sua segunda temporada como federada, uma vez que à imagem de Daniela teve a última temporada como a sua de estreia neste Macedense e no futsal federado.

 

PIVOT (3):

» Vanessa Rey – A jogadora de 29 anos é a única deste conjunto com uma passagem pelo exterior do país para jogar futsal. Começou no FC Mãe d’Água e logo se mudou para o Habinordeste. Seguiram-se passagens por Alves Roçadas e Pioneiros de Bragança, antes de na época 2010/11 se ter mudado para o Diamant Futsal, conjunto francês que representou por apenas uma temporada. Regressou ao ativo na época passada para representar este Macedense com o qual agora renova.

» Joana Silva – Aos 22 anos, Joana Silva é também uma jogadora com muitos poucos anos de futsal federado. Começou o seu percurso futsalístico no Pioneiros de Bragança, já como sénior em 2018. Esteve uma época nesse clube antes de se mudar então para o Macedense no passado verão, clube que vai agora representar pela 2ª temporada, a sua terceira como federada.

» Mila – Emília Oliveira, mais conhecida por Mila, caminha aos 30 anos para a segunda temporada no Macedense. Começou pelo futsal do ARCED S. Tiago Faia em 2009, e passou depois por clubes como GD Cavez, ACD S. Nicolau Basto, o Vila Flor SC e o Benfica de Vila Real antes duma pausa de 3 temporadas que dividiram essa estadia no conjunto de Vila Real com o passado verão, altura em que reforçou este Macedense.

 

UNIVERSAL (1):

» Irene Favas – Outra jogadora com passagem pelo Campeonato Nacional é Irene Favas. Ela que começou pelo futebol do EF Crescer, mudando-se depois para o futsal do Habinordeste. Passou por clubes como Pioneiros de Bragança, Alves Roçadas, GD Chaves, Águia Vimioso, Futsal Mirandela, Santo Cristo e Penaguião, ela que na temporada passada foi então também uma das caras deste conjunto em ano de estreia, renovando assim agora para a sua segunda temporada no Macedense aos 27 anos.

 

Uma equipa que conta com algumas jogadoras bastante experientes, misturadas com algumas jovens, fazendo uma média de idades superior a 25 anos (25,36).

Ao leme deste Macedense continua Paulo Touças. O técnico que brevemente completará 34 anos chegou a este conjunto na passada temporada proveniente do Pioneiros de Bragança como bastantes jogadoras deste plantel, onde tinha sido treinador da formação por 4 anos, e treinador das séniores femininas durante 3 anos, os mesmos em que jogou na equipa masculina.

Na sua equipa técnica, Paulo conta com Andreia Rodrigues como adjunta, ela que já o acompanhou nas ultimas 3 épocas (duas nos Pioneiros e uma no Macedense), e com Joana Vaz, a diretora do futsal feminino deste clube.

A Zona Técnica esteve então à conversa com Paulo Touças, desafiando-o a falar dos habituais 3 itens propostos a todos os treinadores como antevisão a esta Taça Nacional de Acesso ao Campeonato Nacional de 2ª Divisão, deixando de seguida então as respostas do técnico:

 

 

 

ZT - Quais os objetivos para esta competição?

PT - Tendo em conta o nosso grupo de apuramento partimos claramente a “correr por fora”. Logicamente todas as equipas nesta fase sonham com a subida sendo que seria o prémio justo e adequado neste primeiro ano de II Divisão. Infelizmente não foi decidido assim por parte da FPF.  Vamos pensar jogo a jogo, sempre conscientes das dificuldades que iremos encontrar. Certo é que não deixaremos de lutar, nem de acreditar que tudo é possível.

 

ZT - O que podemos esperar da sua equipa nesta fase?

PT - A situação pandémica que vivemos dificultou a preparação, fator que será transversal a maior parte das equipas. Seis meses sem competir tornam o quadro mais complicado.

Temos um grupo de atletas motivadas, desejosas de voltar a competir e que deixarão a “pele” em campo em busca de um resultado positivo. Também queremos dignificar a nossa região, sempre com a garra que nos carateriza, mas também com um futsal que apresenta um modelo de jogo atrativo e positivo.

 

ZT - O que espera encontrar nos seus adversários:

PT - Como já referi, partimos como “outsiders”. As três equipas do grupo já se conhecem, pois, são provenientes do Campeonato Interdistrital da AF Braga/Viana do Castelo, bastante competitivo e nós temos um “handicap” bastante grande dado que temos muito pouca competitividade no nosso Campeonato Distrital.

Do Tebosa todos sabemos que todas as épocas é candidato crónico à subida de divisão. Uma equipa muito coesa, forte, composta de jogadoras com muita experiência e qualidade e que no meu entender é a equipa com mais credenciais no que toca à subida de divisão.

Da Casa do Povo de Freixo as referências são de uma equipa tremendamente competitiva que disputa o jogo sempre no limite e que demonstra bastante agressividade na disputa de todos os lances (no bom sentido). Sabemos que a sua casa é a sua fortaleza e que colocarão muitas dificuldades a todas as equipas que se desloquem lá.

Do Futsal Campo não possuímos muitas informações neste momento infelizmente. Sabemos que em casa complicam bastante a tarefa aos adversários, sendo muito fortes defensivamente e saindo muito bem em transição ofensiva.

Aproveito para desejar a todas as equipas participantes neste apuramento

 

Esta é então a versão 2020/21 do Grupo Desportivo de Macedense, que depois dessa histórica conquista do Campeonato Distrital de Bragança procura nesta temporada conquistar um lugar na Segunda Divisão Nacional de Futsal Feminino. Terá o clube capacidade para transformar esse desejo em realidade? Deixe a sua opinião nos comentários.


Vídeos
Os melhores golos da Jornada 4 da Liga Placard Futsal
Os melhores golos da Jornada 3 da Liga Placard
Os melhores golos da Jornada 2
Os melhores golos da Jornada 1 da Liga Placard
No sábado houve Poker de Leninha na goleada ao Feijó que ontem empatou com o Arneiros
Sporting vence primeiro Troféu Stromp de Futsal Feminino
Edu Sousa venceu o prémio de Melhor Guarda-redes da Liga Nacional de Futsal
Live | Gazprom-Yugra - Partido Comunista
Joaçaba é campeão da Recopa SC Krona
Resumo da Final entre o Movistar Inter e o Valdepeñas
Ficha técnica | Lei da transparência | Estatuto Editorial Politica Privacidade